Escritórios de Advocacia com foco empresarial vem mudando radicalmente a forma de comunicar nos últimos anos. Isso vale tanto aos que se denominam fullservice – e que atuam nas diferentes áreas do direito, quanto àqueles que se intitulam boutiques – com foco específico em determinada área ou perfil de clientes.

Passam a ser relevantes para esses escritórios do século XXI, o cuidado com o design das suas páginas na internet e a participação em eventos e seminários. Mas, mais do que isso, se percebe uma valorização do conteúdo também. E não se trata meramente de copiar as empresas do universo corporativo inserindo a missão, a visão e os valores. Mas começam a apresentar-se na internet de forma mais simples, focada e com menos “juridiquês”. Oferecem informações na “ lógica” do diretor jurídico, do CFO, do CEO e do empresário que está buscando alguma informação jurídica relevante. As mensagens e a definição da proposta de valor do escritório são criadas e compartilhadas entre os sócios e advogados e o escritório passa a apresentar o seu DNA para a sociedade. Ou seja, mostra o diferencial que somente aquela equipe de profissionais oferece. Aqueles que se encontram nesse processo de evolução não trazem mais a mensagem quase que coletiva de “entendemos nosso cliente e oferecemos soluções sob demanda para seus problemas”. Mas, ao contrário disso, procuram se posicionar sobre aquilo onde são únicos e experts, através de mensagens mais corajosas mesmo. As mídias sociais passam a ser consideradas para o relacionamento e para a divulgação da expertise e de temas relevantes. Além dessa postura, adotam estratégias de preparação para a participação em rankings globais de credibilidade.

“As mensagens e a definição da proposta de valor do escritório são criadas e compartilhadas entre os sócios e advogados e o escritório passa a apresentar o seu DNA para a sociedade

Nestes últimos anos, ao trabalhar conjuntamente com alguns líderes admiráveis desse segmento, aprendi que há diferenças que impactam muito a comunicação quando fazemos comparações com o universo corporativo. Existem algumas peculiaridades interessantes como a criatividade e rapidez para implementar soluções administrativas, tecnológicas e consequentemente as inovações de comunicação. Notei uma grande preocupação com a escrita e com a linguagem.

Percebi que para implementar esse novo conceito de comunicação, eles passaram a dedicar mais atenção para a comunicação interna. Muitos investem hoje em treinamentos de mensagens-chave para os advogados; na preparação dos seus advogados para melhor comunicar (as mensagens institucionais do escritório e de todas as áreas) e na criação de ações voltadas para a integração do público interno (formado por advogados e equipe das áreas administrativas).

Tendo atuado nos últimos 20 anos em comunicação empresarial, fico muito satisfeita de poder fazer parte deste processo e de contribuir com meu conhecimento em comunicação empresarial para os escritórios. Hoje na empresa que represento, oferecemos consultoria para vários escritórios e vejo muita abertura dos sócios fundadores para dar este salto em direção a uma comunicação mais estratégica. Tenho certeza de que serão melhor compreendidos pelos clientes, pelos seus advogados e pela sociedade.

Sheila Magri – Jornalista

Consultora de Comunicação – Macob Communications